ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM.

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Tropas da Força Nacional vão reforçar a segurança nas ruas de São Luís

O efetivo deve desembarcar no Maranhão até a quarta-feira (23/9), após pedido da governadora ao Ministério da Justiça

Étore Medeiros
 (Gilson Teixeira/OIMP/D.A Press. Brasil. São Luís - MA)
Um efetivo da Força Nacional de Segurança Pública deverá reforçar o policiamento nas ruas de São Luís (MA), que vem sofrendo desde o último sábado (20/9) uma série de ataques a ônibus e veículos particulares. As tropas devem chegar à capital do Maranhão a partir desta quarta-feira (24/9). O Ministério da Justiça (MJ) atendeu ao pedido expresso em ofício enviado ontem pela governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB). O envio das tropas deverá ser publicada no Diário Oficial da União da quarta....

Um efetivo de 150 homens da Força Nacional atua há um ano dentro do sistema penitenciário maranhense. O envio das tropas, a pedido do governo maranhense, se deu para coibir a violência dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde 60 detentos foram assassinados em 2013. Uma série de decapitações chamou a atenção do mundo para o presídio. As tropas que estão em Pedrinhas deixariam o estado até o fim deste mês, mas permanecem no Maranhão com a renovação do pedido pelo governo maranhense, que também pediu reforço para o policiamento das ruas.

No ofício recebido por volta das 22h30 da terça-feira pelo MJ, a governadora admite que “a capital maranhense, lamentavelmente, voltou a viver momentos de tensão e de horror”. Os ataques na região metropolitana de São Luís - que também incluem um atentado a tiros contra um fórum - são atribuídos a facções criminosas que atuam dentro de Pedrinhas.

Em janeiro, em outra série de atentados, a menina Ana Clara Santos, de seis anos, perdeu a vida após o ônibus em que ela estava ter sido incendiado. Os criminosos não deram tempo para que os passageiros descessem. A mãe e a irmã da Ana Clara e outras duas pessoas também ficaram feridas.

Transferências

Apesar da presença dos efetivos em Pedrinhas, 15 detentos já foram assassinados neste ano. O motivo dos ataques nas ruas de São Luís seriam as transferências de presos para novas unidades prisionais. Nas últimas semanas, uma série de fugas ocorreram no complexo penitenciário. Em uma das ocasiões, um caminhão caçamba arrombou o muro, possibilitando a saída dos presos. Em outra, no último fim de semana, os detentos conseguiram fugir por um túnel. No último dia 15, o diretor da Casa de Detenção de Pedrinhas foi preso, acusado de receber propina para permitir a saída de presos.

A governadora Roseana Sarney confirmou ontem a nomeação de Paulo Guimarães para a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap). O defensor público será o terceiro nome a comandar a pasta em menos de duas semanas.