MARANHÃO NO RUMO CERTO

MARANHÃO NO RUMO CERTO

quarta-feira, 7 de março de 2018

Ex-comandante do 5º BPM é preso por suspeita de envolvimento com organização criminosa

Na tarde desta terça-feira (6), foi preso mais um policial militar envolvido com a organização criminosa envolvida com contrabando, que está sendo investigada pela “Operação Combate à Corrupção”.
O tenente coronel Antonio Eriverton Nunes Araújo, ex-comandante do 21º Batalhão da Polícia Militar (5º BPM), foi preso, em cumprimento da mandado de prisão preventiva em desfavor dele.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), Eriverton retornará para São Luís em um helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA) e será apresentado na Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) amanhã.
Detalhes revelados
Em documento assinado pelo juiz Ronaldo Maciel, constam relatos de um Cabo do 21º Batalhão, uma das testemunhas que denunciou o esquema da maior organização criminosa do Maranhão nos últimos 20 anos. Ele revelou detalhes do esquema criminoso que envolve lideranças da polícia e até deputados, cuja identidade ainda não foram reveladas. O ofício circula em redes de todo o estado desde o início da manhã de hoje (6).
O cabo disse em depoimento que em dezembro de 2017 ele abordou um caminhão carregado de material contrabandeado e que os ocupantes teriam ligado para o Coronel Elias Francalanci, ex-subchefe da Casa Militar, preso no último sábado (3). Durante a ligação, o Coronel teria ordenado que o caminhão fosse liberado. O mesmo veículo foi apreendido durante operação realizada no dia 22 de fevereiro.
Em outro trecho do documento, a informação de que o Major Rangel, ex-subcomandante do 21º Batalhão, estaria recebendo a quantia de 50 mil reais por mês e que os outros membros do chamado “Quarteto do Rangel” receberiam entre seis e dez mil reais, valor que mudava de acordo com a patente. As investigações foram iniciadas também por meio de levantamentos realizados pelo serviço de inteligência da Polícia Militar e de informações recebidas do disque-denúncia no ano passado.
Operação Combate à Corrupção
Até o momento, foram presos durante a operação o vice ex-prefeito de São Mateus, Rogério mendes, e os policiais Luciano Fábio Farias Rangel, major da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), Fernando Paiva Moraes Junior, soldado da PMMA, e Joaquim Pereira de Carvalho Filho, 2º sargento da PM. Outros homens, identificados como José Carlos Gonçalves, Éder Carvalho Pereira, Edimilson Silva Macedo e Rodrigo Santana Mendes também acabaram presos.
Essas foram as ações da primeira fase da Operação, que também contou com a localização de um galpão no bairro Vila Esperança, onde eram armazenados os produtos contrabandeados, e um porto, no qual eram desembarcadas as mercadorias, que chegavam através de pequenos barcos e depois, já com os produtos, seguiam para o galpão.
Já na segunda fase da Operação ‘Combate à Corrupção’ , a polícia, com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), encontrou um novo galpão na Matinha, localizado na saída de São Luís. No novo depósito, considerado dez vezes maior do que o primeiro, foi encontrada uma nova quantidade de mercadorias contrabandeadas.
Na nova fase, foi decretada ainda a prisão preventiva para Jonilson Amorim, Patrick Sérgio Moraes Martins, Paulo Ricardo Carneiro Nascimento, Gleydson da Silva Alves, Reinaldo Elias Francalanci, Harold João Padilha Martins, Galdino Livramento dos Santos, Evandro da Costa Araújo e Franklin Loura Nogueira.
Foram presos também o delegado Tiago Bardal, que foi exonerado do cargo de superintendente estadual de Investigações Criminais, e o advogado Ricardo Belo. Os dois foram encontrados por uma patrulha da Polícia Militar (PM) em estrada onde a organização criminosa operava, no bairro Quebra Pote.

0 comentários :

Postar um comentário