quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Seduc-MA se posiciona sobre polêmica carta do MEC

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), esclareceu que foi surpreendido com o envio de carta do Ministério da Educação (MEC) às escolas recomendando a leitura do documento e a execução do Hino Nacional.
“A Seduc compreende que a autonomia das comunidades escolares fortalece os processos pedagógicos e favorece a efetivação das aprendizagens necessárias ao desenvolvimento dos estudantes”, diz a nota.
Ressaltou também que o foco do Maranhão é “discutir a qualidade da educação a partir de um ambiente escolar do livre pensar e agir, ou seja, democrático, participativo e que incentiva o protagonismo juvenil para a formação de cidadãs e cidadãos conscientes, responsáveis e críticos”.
O MEC enviou na segunda-feira (25) uma carta a todas as escolas do país pedindo que as crianças fossem perfiladas para cantar o Hino Nacional e que um representante da instituição filmasse o momento e encaminhasse o vídeo para o governo federal. A maioria dos Estados divulgou notas com críticas à mensagem do Ministério da Educação (MEC) e ressaltando a autonomia das escolas no país.
O Ministério recuou e apresentou uma nova versão da carta que o ministro Ricardo Vélez Rodríguez quer que seja lida em todas as escolas da país. Agora, o texto suprimiu o slogan usado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha eleitoral: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Segundo a pasta, o ministro considerou a inclusão da frase um “equívoco”.
A pasta mantém, entretanto, o pedido de gravação da leitura da mensagem e da execução do Hino Nacional com os alunos e funcionários perfilados diante da bandeira do Brasil. Só que agora o MEC diz que a filmagem tem de ser previamente autorizada pelos pais — antes, esta permissão estava condicionada apenas à divulgação das imagens. Veja abaixo o documento inicial:

0 comentários :

Postar um comentário