quinta-feira, 11 de abril de 2019

Quilombolas temem novas desapropriações com ampliação das atividades do CLA

Duas audiências foram realizadas nesta quarta-feira (10), no Maranhão e em Brasília, que discutiram impactos que serão provocados pela assinatura do acordo entre Brasil e Estados Unidos, para utilização do Centro de Lançamento de Alcântara.
A audiência no Maranhão aconteceu na cidade de Alcântara e foi promovida pela Defensoria Publica do Estado. O objetivo foi discutir os possíveis impactos socioambientais e a violação aos direitos das comunidades tradicionais que vivem no município. Desde a criação do CLA, o processo de desapropriação das terras quilombolas já atingiu milhares de famílias.
Com o novo acordo para uso do centro, as comunidades que vivem na região temem que uma nova desapropriação de terras seja realizada. Em Brasília, duas audiências realizadas na Câmara dos Deputados hoje trataram sobre os detalhes do acordo de salvaguarda assinado entre Brasil e Estados Unidos. Na comissão de relações exteriores e defesa nacional, o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo Silva afirmou aos deputados que o acordo não fere a soberania brasileira.
Já em outra audiência, realizada em conjunto pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Direitos Humanos e Minorias e Relações Exteriores da Câmara, o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, explicou, entre outros pontos, que o acordo com os EUA não inviabiliza o fechamento de compromissos com outros países.

0 comentários :

Postar um comentário