terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Flamengo bate o Al-Hilal e é finalista do Mundial de Clubes

Gols da vitória por 3 x 1 em Doha, no Catar, foram marcados por Al-Dawsari, Arrascaeta e Bruno Henrique. Al-Bulayhi fez contra.

O sonho do bicampeonato mundial segue vivo para o Flamengo. Depois de sair atrás no placar, o Rubro-Negro teve atuação soberba no segundo tempo para virar sobre o Al-Hilal por 3 x 1 e se garantir na final do Mundial de Clubes. Gols da vitória por 3 x 1 em Doha, no Catar, foram marcados por Al-Dawsari, Arrascaeta e Bruno Henrique. Al-Bulayhi fez contra. Agora, o time carioca espera o vencedor da partida entre Liverpool (ING) e Monterrey (MEX), que se enfrentam nesta quarta-feira (18/12/2019). A grande decisão do Mundial de Clubes será disputada neste sábado (21/12/2019), a partir das 14h30.

O Flamengo terá como titulares Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís, Willian Arão, Gerson e Arrascaeta; Éverton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol. A Arábia Saudita, por sua vez, lançará um time com as principais estrelas disponíveis, como o italiano Sebastian Giovinco, poupado para o encontro diante dos tunisianos na quartas de final. Assim, o Al-Hilal vai a campo com: Al-Muaiouf; Al-Burayk, Jang Hyun-Soo, Al-Bulayhi e Al-Shahrani; Cuéllar, Kanno, Carlos Eduardo, Carrillo e Al-Dawsari; Kharbin....

A partida começou estudada por parte das duas equipes. Com uma marcação alta, o Al-Hilal se aproveitou do fato de já ter entrado em campo para criar melhores oportunidades. Em 12 minutos, o time árabe já havia conquistado três escanteios. Aos 14 minutos, Gerson por muito pouco não abriu o placar. Após rebote, o Coringa bateu de perna esquerda e quase acertou a meta de Al-Muaiouf. A bola, entretanto, saiu à esquerda do gol.
No lance seguinte, foi o Al-Hilal quem quase vazou a meta de Diego Alves. Em jogada individual, Giovinco ficou cara a cara com o goleiro do Flamengo, que saiu bem da meta para fazer importante intervenção. No rebote, Gomis artilheiro do time árabe, isolou a bola e desperdiçou chance clara.
O primeiro gol do jogo foi dos árabes. Em jogada rápida pelo lado direito, Al-Dawsari, de perna direita, abriu o placar. Diego Alves até foi na bola, mas não conseguiu impedir o gol do Al-Hilal.
Atrás no placar, o Flamengo demonstrou nervosismo em campo. Bruno Henrique, já advertido com cartão amarelo por conta de uma falta aos 19 minutos, se irritou com a arbitragem e passou a reclamar. Gerson, até então pouco eficiente no duelo, também fez falta dura e correu risco de ser penalizado. O árbitro da partida, porém, preferiu conduzir o jogo baseado no diálogo com os jogadores.
2º tempo
O Flamengo não demorou a empatar a partida. Em jogada bem trabalhada logo aos 3 minutos da etapa complementar, Arrascaeta recebeu passe açucarado para igualar o placar e dar um pouco mais de tranquilidade para o Rubro-Negro em campo.
O gol de Arrascaeta fez com que a partida fosse disputada em ritmo mais lento. Os antes velozes contra-ataques dos árabes deram lugar a um estilo estudado de jogo, buscando rodar a bola para encontrar espaços na zaga rubro-negra. O Flamengo, porém, não conseguiu impor o estilo pretendido. Mesmo com a habilidade do time carioca, os comandados de Jorge Jesus não conseguiram voltar a vazar a meta do Al-Hilal.
Aos 32 minutos, quando o jogo se encaminhava para o empate, Diego iniciou jogada, achou Rafinha que, com perfeição, levantou a bola na área e viu Bruno Henrique sozinho. O camisa 27 testou firme, sem chances para Al-Muaiouf, que ainda voou na tentativa de impedir a virada, mas viu a bola morrer no fundo da rede.
Com a fatura praticamente liquidada, o Al-Hilal ainda perdeu Carrillo, expulso. O jogador foi desarmado por Arrascaeta e revidou com um pontapé no uruguaio. Como punição, o jogador do time árabe recebeu o cartão vermelho direto.

Metrópoles.com

0 comentários :

Postar um comentário