segunda-feira, 11 de maio de 2020

Governo ainda não tem calendário para pagar 2ª parcela do auxílio de R$ 600

Previsão inicial era começar a pagar a 2ª parte do benefício no dia 27 de abril. Após tentativa fracassada de adiar, governo segue sem data.

O governo federal ainda não divulgou o calendário de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, que estava previsto inicialmente para ocorrer entre os dias 27 e 30 de abril.

Assim, o pagamento dessa parte do benefício completa, nesta segunda-feira (11/05), duas semanas de atraso.

O período pode ser maior ao se considerar que o governo chegou a antecipar o pagamento da segunda parcela para o dia 23 do mesmo mês. Na véspera, contudo, o Ministério da Cidadania voltou atrás e cancelou o adiantamento.

Os motivos, segundo nota divulgada no dia 22 pela própria pasta, são: falta de dinheiro, além da necessidade de um crédito suplementar para poder atender a todos os beneficiários.

Atraso na primeira parcela

O governo federal ainda não terminou de pagar nem mesmo a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600, mais de um mês após o início do pagamento.

Segundo levantamento do Metrópoles com base em números divulgados pela Dataprev, ao menos 14 milhões de brasileiros aguardam análise dos dados para receber o benefício emergencial.

Balanço

Por outro lado, a Caixa Econômica Federal informou que pagou o auxílio de R$ 600 para mais de 50 milhões de cidadãos, entre beneficiários do Bolsa Família, inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e trabalhadores informais.

Ao todo, foram creditados R$ 35,5 bilhões. O valor da parcela pode ser de R$ 600 e R$ 1,2 mil. No máximo, cada família pode receber R$ 1,8 mil por vez (contando com três beneficiários).

Outro lado

A Caixa Econômica informou que “está preparada para efetuar o crédito da segunda parcela do auxílio emergencial e aguarda a liberação de um novo calendário por parte do Ministério da Cidadania.”

O Ministério da Cidadania foi procurado, mas não respondeu sobre a nova data. O espaço continua aberto.



Metrópoles.com

0 comentários :

Postar um comentário